A rosácea é uma doença crônica que provoca a vermelhidão na região facial e causa incômodo e baixa autoestima em pessoas acima dos 30 anos.

Em primeiro lugar, quando falamos da aparência, os danos visíveis na pele podem causar grandes incômodos. Acne tardia em mulheres acima dos 25 anos, manchas, rugas, linhas de expressão, tudo isso pode provocar uma baixa autoestima e uma procura maior por tratamentos estéticos e procedimentos que possam amenizar a situação.

No entanto, assim como as espinhas, existem condições que chamam bastante atenção, é o caso da Rosácea. Além disso, como o próprio nome já diz, ela deixa a pele bastante rosada.

Mas afinal, o que é Rosácea?

Para muitas pessoas, a vermelhidão no rosto pode até passar despercebida e ser apenas uma “irritação qualquer na pele”. Contudo, quando o falamos de Rosácea é preciso estar mais atentos aos sinais que ficam evidentes na face de que algo não está indo bem. 

Normalmente, ela atinge as bochechas, mas em alguns casos pode chegar aos olhos, como por exemplo, a Rosácea ocular.

Tecnicamente, essa condição que não tem cura comprovada e acontece quando há uma alteração nos pequenos vasos sanguíneos do rosto e nas unidades pilossebáceas, ou seja, provoca a cor rosada na região afetada.

Existem  5 tipos de Rosáceas, são elas:

1.    A Erimato Telangectasia

Tom avermelhado e pequenos vasos que se tornam evidentes na região central do rosto;

2.   Rosácea Pápula pustula

Tom avermelhado e lesões como se fossem espinhas;

3.   Rosácea fimatosa

Pele espessada, endurecida e avermelhada com poros dilatados;

4.   A Rosácea ocular

Atinge diretamente os olhos;

5.   Granulomatosa

Pequenos nódulos acastanhados no rosto.

Portanto, vale ressaltar ainda que ela dá os primeiros sinais entre os 30 e 60 anos e afeta principalmente as mulheres.

Além disso, de acordo com o Dr. Walter Pinheiro, há uma predisposição individual, isto significa que, é mais comum entre brancos e descendentes de europeus.

Sinais

A rosácea pode gerar sinais fortes e muito aparentes ou fracos, quase não identificáveis, isso pode variar de acordo com cada pessoa.

Além disso, vale ressaltar que as lesões provocadas pela doença crônica não evoluem sempre, e isso também é um fator variável, portanto, é preciso ficar atento aos principais sintomas da doença. 

Abaixo veja os sinais mais comuns. Como por exemplo:

  • Protuberâncias na face semelhantes a espinhas;
  • Vermelhidão ou pequenos vasos sanguíneos no nariz;
  • Bochechas inchadas e rosadas;
  • Nariz com deformação;
  • Olhos secos e pálpebras rosadas;
  • Inchaço nos olhos e irritação que causa coceira.

Fatores que podem desencadear ou piorar a Rosácea

Além da base genética, alguns fatores podem desencadear ou até mesmo piorar a Rosácea, principalmente, quando não há um tratamento adequado e acompanhado por um Dermatologista. Portanto, a falta de atenção e cuidados, aumenta o fluxo de sangue para a superfície na pele e consequentemente agrava a situação.

Alguns dos fatores externos podem dificultar o tratamento, por exemplo:

  • Alimentação irregular ou bebidas quentes;
  • Alimentos picantes;
  • Álcool em excesso;
  • Exposição ao sol sem proteção;
  • Estresse;
  • Banhos muito quentes ou saunas;
  • Remédios que dilatam os vasos sanguíneos.

Rosácea e ansiedade

Por se tratar de uma doença crônica que afeta diretamente a aparência da pessoa, a Rosácea pode desencadear outros problemas de saúde, como é o caso da ansiedade. Por exemplo: pessoas que sofrem com essa condição normalmente têm vergonha e vivem nervosas.

Isto, por sua vez, também afeta diretamente a autoestima do indivíduo, que não se sente confortável em público ou até mesmo ao tirar fotos. Portanto, o sistema emocional também pode sofrer alterações e isto pode agravar a situação, causando até mesmo uma depressão profunda e problemas mais graves de saúde.

Portanto, é necessário que se tenha um acompanhamento contínuo do tratamento para minimizar os efeitos da doença na pele e assim não causar mais transtornos para a saúde tanto do corpo quanto da mente.

Além disso, seguir as recomendações do Dermatologista é fundamental para conseguir ter uma vida normal, mesmo com essa condição. Portanto, mesmo sabendo que não tem cura, o tratamento adequado controla o quadro e pode ajudar a melhorar a autoestima e restaurar até mesmo a aparência jovem e saudável da pele.

Cuidados diários para amenizar os efeitos da doença na pele

Por deixar a pele extremamente sensível, é necessário ter alguns cuidados especiais ao longo do tratamento indicado pelo Dermatologista. Além disso, investir em dermocosméticos suaves e hidratantes que ajudem a recuperar a base cutânea, pode ser uma excelente opção nesses casos. 

 Abaixo veja alguns dos principais cuidados que devem ser incluídos na rotina de quem sofre com essa condição, por exemplo:

  • Uso do protetor solar;
  •  Sabonete específico e com efeito suavizante;
  •  Hidratantes específicos;
  • Tônicos indicados pelo Dermatologista;
  • Limpeza e remoção de impurezas;
  • Alimentação regular.

Tratamentos

O tratamento para a rosácea deve ser realizado sob orientação médica. Após o diagnóstico feito pelo Dermatologista, é necessário seguir todos os passos indicados pelo profissional e também não deixar de fazer consultas de avaliação do estado em que a condição se encontra.

Mas,

além disso, toda essa ação para suavizar os efeitos da doença na pele tem duração média de 3 a 6 meses, tudo vai depender do caso.

Para alguns, por exemplo, existe a opção de correção com cirurgia. Contudo, para a realização de qualquer procedimento invasivo, é fundamental saber qual é o tipo de rosácea e se existe a possibilidade de cuidados sem a intervenção de fatores externos.

Conclusão,

A Rosácea é uma doença que não tem cura, mas tem tratamento

Por ser uma doença crônica, esse tipo de problema na pele não tem cura comprovada, mas existem diversos tratamentos que podem minimizar os efeitos colaterais dessa condição.

Além disso, o diagnóstico e tratamento feito pelo Dermatologista é preciso também ter alguns cuidados básicos durante a rotina “skincare”, em pessoas que sofrem com esse problema e, principalmente, é necessário ter atenção os dermocosméticos que são utilizados, pois cada caso, exige uma atenção diferenciada.

Em suma

Mesmo sendo um fator que desencadeia a ansiedade e outros problemas de saúde, as mulheres que sofrem com a Rosácea podem viver normalmente em um ambiente sociável e ter uma vida tranquila. Portanto, é fundamental o acompanhamento de um especialista e o uso dos produtos adequados para restaurar a aparência

Deixe um comentário


Notice: ob_end_flush(): failed to send buffer of zlib output compression (0) in /home/drwalter/public_html/wp-includes/functions.php on line 4552

Notice: ob_end_flush(): failed to send buffer of zlib output compression (0) in /home/drwalter/public_html/wp-content/plugins/really-simple-ssl/class-mixed-content-fixer.php on line 111